Certificada Thetahealer®

logo-footer.png
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Icon
  • YouTube - círculo cinza

{ No que eu acredito e o que me move na vida }

Por que eu resolvi te contar isso? Porque eu acredito que tudo flui muito melhor quando temos conexão com quem trabalha conosco, não é mesmo? O que me move pode também ser parecido com o que move você e é aí que nós conectamos!

Buscar harmonia e conexão com o divino em mim e em nós

Eu acredito muito no poder do divino, no poder do universo, em uma força maior que nos acompanha, seja lá o nome que você se dê a esse grande poder. Fui educada na igreja católica, mas já experienciei várias religiões buscando entender essa força e captar um pouco da beleza que existe em cada uma delas. Hoje me considero uma pessoa eclética, não me apego a uma religião específica, mas faço da meditação um dos caminhos de conexão com esse poder maior. A meditação me leva ao caminho da harmonia comigo mesma e com o mundo.

Também gosto muito de estar em meio a natureza buscando me reconectar e promover a harmonia e o equilíbrio para que eu possa estar bem comigo e transmitir o bem para meus clientes.

Estar sempre em contato com o que alimenta meu corpo, mente e alma

Estar em contato com o meu corpo por meio dos esportes é uma coisa que me fascina. Sempre gostei praticar esportes, na infância até a adolescência fui ginasta olímpica, competi e fui premiada várias vezes. Já fiz mergulho, já pulei de paraquedas e já pratiquei todo tipo de esporte que você imaginar. Gosto de estar em movimento, conectada comigo.

Outro tipo de alimento para a alma e mente que eu busco com frequência são os livros, eu amo ler e estou sempre lendo três ao mesmo tempo. Tenho um livro mais técnico na bolsa, um mais voltado para religiões e culturas que fica ali disponível para aqueles momentos off, e um de ficção na cabeceira da cama para aqueles minutinhos antes de dormir. Também adoro filmes e assisto de tudo, especialmente aqueles que me fazem rir ou me instigam ao movimento com suas cenas de ação.

Viajar também é um dos alimentos que me nutrem. Gosto de viajar para conhecer culturas diferentes e suas histórias, para ver como tudo começou e entender como a gente vive hoje. Para quebrar os paradigmas e aprender a respeitar as diferentes formas de pensar e agir. Já visitei vários países e várias localidades brasileiras, buscando sempre entender um pouco mais da historiada humanidade e da riqueza das diversas culturas. Valorizo muito o nosso país e, por isso, me interesso bastante pela cultura indígena e pela cultura negra, que carregam as raízes das nossas origens.

Amo os animais e levo tão a sério essa questão de estar conectada com o que nutre minha alma, que tenho sete gatos e sou vegetariana.

Também gosto muito de estar em meio a natureza buscando me reconectar e promover a harmonia e o equilíbrio para que eu possa estar bem comigo e transmitir o bem para meus clientes.

Gosto do olho no olho e de ir direto ao ponto

Embora eu seja jovem, ainda sou da geração olho no olho, gosto de estar presente, focar na conversar, esquecer por um tempo do telefone e todas as tecnologias que nos afastam do rico contato pessoal. Quando estou com meus clientes, procuro estar 100% presente para ouvir e acolher.

Eu também sou uma pessoa muito ativa e prática, que toma frente das coisas, resolve o que tem de ser resolvido sem ficar rodando, rodando pra chegar ao ponto, por isso, nos meus atendimentos, eu não fico remoendo o problema do cliente, parto logo para ajudar a pessoa a resolver.

A presença integral quando estou com alguém e essa objetividade são características que meus clientes ressaltam como qualidades que eles gostam de mim e, por isso, se algum dia eu tiver a oportunidade de trabalhar com você, pode ter certeza que vou te oferecer isso também!

Acredito em um RH participativo

Eu trabalhei mais de 15 anos com recursos humanos e sempre me incomodou o fato da maioria dos RHs serem distantes, apenas técnicos e preocupados com questões burocráticas. Eu acredito que uma das funções do RH deve, sim, ser oferecer apoio emocional aos empregados. Eu sei. Isso está mudando lentamente, mas ainda precisa avançar muito. E eu apoio e acredito em um RH mais participativo e conectado com as necessidades emocionais dos empregados.